Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Coletivo

14
Ago19

A greve dos motoristas e as férias do PSD

A woman in politics

Se há algo que a greve dos motoristas mostra, e é consensual, é que nas férias de Rio ninguém toca.

Como Rio disse em tempos, julgo que a propósito da confusão com os professores, ele só fala quando quer e não quando os outros querem.

Ainda apareceu no Twitter a dizer uma coisas confusas que sugeriam um acordo entre o Governo e os sindicatos para o adiamento da greve. Como se a greve não tivesse sido marcada pelo sindicato com o propósito de ganhar algo com a aproximação às eleições. Não sei em que mundo vive...

Que os portugueses não tenham a infelicidade de ser afetados por alguma tragédia no mês de agosto enquanto governados por Rui Rio. Se assim fosse, era ir para o Santuário de Fátima e esperar pelo melhor.

Mas penso que estamos de acordo, é uma preocupação em vão...

09
Jul19

Amores e desamores de Jeremy Corbyn

Flávio Gonçalves

Aparentemente noticiam-se cada vez mais trabalhistas que odeiam Jeremy Corbyn e adoram Tony Blair. A meu ver não são de esquerda, lamento informá-los. Mas compreendo, no PS também temos uma multidão de gente de direita que julga ser de esquerda, e estes odiavam Costa antes deste ser eleito. Portanto, creio que também estes irão gostar de Corbyn se este também conseguir ser eleito. Os amores e os ódios na política são muito voláteis, eu também não irei gostar de Corbyn se este for eleito e governar à Blair... tal como não me agradaria Costa se este tivesse optado, suicidariamente, por um governo de bloco central com Passos Coelho.

28
Mai19

Baixar a Crista

João Ferreira Dias

O maior derrotado, a meu ver, destas eleições europeias (além da derrota simbólica da Democracia pela abstenção), é o CDS-PP. Depois da onda de euforia megalómana de Assunção Cristas, que já se via como Primeira-Ministra, um balde de água fria caia sobre o partido, deixando uma importante lição: querer ser uma espécie de navio de papel ideológico, sacudido entre margens opostas, não resulta. Primeiro porque não convence o eleitorado não-conservador, segundo porque desagrada, e muito, ao seu eleitorado de base. Ou o CDS é um partido de direita católica ou é um partido maria-vai-com-as-outras do centro. Ser um ringue para Nuno Melo chatear a esquerda e para Cristas sonhar acordada não basta. 

10
Mai19

Inimigo Público - ‘Passos Coelho abandona PSD e entra no PS, o partido que agora melhor defende os valores da “troika”’

A woman in politics
08
Mai19

"Porquê votar nas eleições europeias de maio de 2019?"

A woman in politics
10
Abr19

Habemus um novo partido político

A woman in politics

Foi hoje avançado pela imprensa e já confirmado por André Ventura (nas suas redes sociais) a aceitação por parte do Tribunal Constitucional do novo partido político "Chega". Passam, assim, a existir 24 partidos políticos legalizados em Portugal.

 

No entanto, ainda não se sabe se o Partido Chega irá concorrer às eleições Europeias, porque quase, de forma simultânea, o Tribunal Constitucional rejeitara a coligação “Europa Chega”, que juntava o movimento Chega (que ainda não era partido), o Partido Popular Monárquico e o Partido Cidadania e Democracia Cristã. O Partido Chega podia concorrer (após a aceitação sair em DR), mas como o prazo para a entrega da lista de candidatos às Europeias termina na próxima semana, seria uma corrida em contra-relógio.

 

Tic tac...

 

12
Mar19

A semana que decide o Brexit

A woman in politics

A data oficial do Brexit é a 29 de março e o que acontecerá até lá será puro entretenimento para os amantes de política (à falta de melhor descrição).

Esta semana, mais concretamente, será pródiga em acontecimentos. Vejamos.

Hoje foi votado o novo acordo de Theresa May, e caso fosse aprovado, a saída do Reino Unido da UE dar-se-ia dentro do previsto. Contudo, já sabemos que o acordo foi votado e foi rejeitado, e passamos então à fase de votação relativa a uma saída sem acordo.

Essa votação ocorrerá amanhã (13 de março) e caso seja aprovada os britânicos sairão de facto a 29 de março (embora sem acordo), e navegarão por águas mais turvas do que se previa.

Por outro lado, se for rejeitada passamos à fase de votação, que ocorrerá a 14 de março, para adiamento do Brexit. Novamente, se a votação for rejeitada há uma saída a 29 de março (sem acordo), e se for aprovada o Brexit será adiado...

Para quando e com que propósito é o que falta saber. Mas nem os britânicos sabem...

 

brexit2.png

 

01
Mar19

Carnaval, what else?

A woman in politics

Vem aí o fim de semana de Carnaval e vamos lá estereotipar um pouco.

 

Há 3 tipos clássicos de pessoas no Carnaval. 1) As que vão de férias para o estrangeiro e partilham 1001 fotos para assegurar que toda a gente sabe (e continuam a postar mesmo quando chegam de férias não vá alguém não ter visto). 2) As que passam um ano inteiro a pensar no que vão vestir nesta data, mas mesmo assim é inevitável, os homens acabam quase sempre por vestir-se de mulheres (a quem possa interessar a moda este ano parece que são os macacões vermelhos e máscara da La Casa de Papel). 3) As que aproveitam para usufruir da arte de nada fazer (verdadeiros especialistas em “couch potato”).

 

Bem meus caros... Gostaria de informar que o meu Carnaval é muitíssimo interessante... Mas, não. Faço mesmo parte do terceiro grupo.

 

Se fazem parte da minha tribo, e gostam minimamente de política, recomendo-vos o filme Vice de Adam McKay, com Christian Bale, Steve Carell, Amy Adams e Sam Rockwell nos principais papéis.

 

O filme retrata a história de Dick Cheney, vice-presidente de Geoge W. Bush, e para resumir, o tipo é um mafioso, e Christian Bale um monstro da representação. Eis o trailer: